CafeecervejasXQ.gif
  • Mariuccia Ancona Lopez

Xô ansiedade!

Aprendendo a viajar nos novos tempos


Ansiedade por voltar a ver o mundo do alto

Ansiedade é o que não falta a quem , como dizemos vulgarmente, “dobrou o cabo da Boa Esperança”. Pode ser pela urgência em viver o tempo que ainda nos resta, pode ser pelo próprio momento que o mundo atravessa. Fato é que, geralmente a ansiedade atormenta – e muto - quem já passou dos 60,70,80.


...de caminhar nos aeroportos


Quando a pandemia chegou, ansiosos ou não, tivemos que nos conformar com o que se apresentava. A primeira urgência era ficar saudável. Isolados, tivemos que engolir as aflições e esperar pela vacina.

A vacina veio – graças a Deus! – os mais velhos já tomaram duas e alguns até as três doses. E aí volta a ansiedade por viajar, por retomar a vida de onde havíamos parado. De rever lugares que amamos, de descobrir destinos com os quais havíamos sonhado. De vivenciar, de novo, os mesmos prazeres.



... e de confeir nosso próprio vôo, na (ainda) minguada lista

Eu mesma já me entreguei de volta ao prazer de viajar. Só que, agora, de outro jeito. Não basta comprar o bilhete aéreo, fazer o check in e curtir .

Nem tudo é como queremos que seja. E lá vem as dificuldades. Depois de amargar a lista vermelha, de não sermos desejados em país nenhum, começa a abertura. Meia boca, mas abertura.

Mas , meia boca ou não, pelo menos começou.

O mais importante é, antes de mais nada, ter a consciência de que agora é diferente. Podemos sim, voltar a viajar mas isto exige alguns procedimentos diferentes.

Primeiro: escolha seu destino levando em conta as restrições locais. E lembre-se de confirmar constantemente se as regras mudaram ou não. Se viajar com ajuda de agente de viagens, fique em contato com ele para se atualizar. Caso contrário, fique de olho nos sites dos países/destinos sonhados.



Pode ser que você precise mudar de vôo. De companhia aérea ou de data. Eu mesma precisei trocar Lufthansa por Swiss não pela companhia mas pelo país. Alemanha não permitia passageiros do Brasil em conexões e a Suiça, sim. Um ligeiro estresse quando soube das restrições para conexão em Frankfurt, mas tudo funcionou muito bem porque as duas companhias são irmãs e não houve cobrança de multa, em razão das restrições da pandemia.

Lembre-se que será preciso teste PCR antes de embarcar . Seja na ida como na volta. Coloque isso no seu orçamento de viagem. Por aqui custam cerca de R$ 350,00 e, no exterior podem custar 150/ 200 Euros.

E também o certificado de vacina. Geralmente aceitam a versão digital, no celular. Mas há locais que pedem impresso. Melhor se garantir e ter os dois à mão.

Alguns países pedem o teste, outros apenas a vacina e tem os que pedem os dois. Por garantia, leve os dois. Nunca se sabe como se comprtará o oficil da imigração ou se, de repente a regra mudou enquanto você estava voando.

E o seguro saúde – que sempre foi indispensável – agora deve cobrir também tratamento de Covid. E você terá que usar máscara todo o tempo. No vôo, seja de quantas horas for e nos aeroportos.


E ainda precisa preencher o formulário de Saúde do Viajante da Anvisa, que deve ser apresentado no check in da companhia aérea, na hora de voltar ao Brasil. Sem ele, ninguém embarca.


Se esse novo tempo me desanimou das viagens? Claro que não.! São apenas novas regras dos novos tempos.



É a nova dinâmica da vida. E vida é assim mesmo: muda num piscar de olhos.


O mais importante é que, chegando ao seu destino, tudo isso desaparece para dar lugar ao puro prazer das férias. Garanto!

Posts recentes

Ver tudo